Academia Fitness Nutrição Saúde

Ficar sem jantar nem sempre é uma boa se você quer emagrecer

Você evita comer à noite com medo de engordar? Melhor ler este texto

Por: Karen Carneti27/01/2021

Ficar sem jantar emagrece?

Eis que você tenta vestir aquela roupa que tanto adora e… oops! Ela simplesmente não serve mais. Imediatamente, você pensa em começar uma dieta, cortar os carboidratos no jantar, ou, vai além: decide pular a última refeição. Você até ouviu alguém dizer que ficar sem jantar emagrece, não é?

Calma lá, será mesmo que essas são as melhores opções para seu corpo e sua saúde? Não necessariamente, e você já vai entender por quê. Veja, a seguir, o beabá da alimentação noturna ideal para quem deseja perder peso — e descubra se realmente ficar sem jantar emagrece.

Jante mais cedo

Em vez de se privar da última refeição do dia, o ideal mesmo é começar a jantar mais cedo. Um estudo publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism em 2020 mostrou uma relação entre o horário do jantar e a perda de gordura, indicando que quem janta mais cedo tem tendência a perder mais peso do que as pessoas que comem mais próximo ao horário de dormir.

“Pessoas que se alimentam no horário mais próximo de dormir — ou seja, à noite —, em que se tem menos luz, segundo o estudo, têm mais chances de desenvolver Diabetes Tipo 2 e resistência à insulina, duas doenças comuns na síndrome metabólica e que estão diretamente relacionadas ao aumento de peso e gordura corporal”,  explica Lígia Catoni Neves, nutricionista do Smart Fit Nutri (o app de consultas online com nutricionistas da Smart Fit).

Se a pessoa dorme às 22h por exemplo, seria interessante fazer a última refeição até as 20:30h, tempo necessário para que a digestão aconteça e não prejudique o sono.

Os melhores alimentos: o que comer no jantar?

As pessoas que não dispensam a comida podem escolher uma fonte de proteína magra, tipo filé de frango ou peixe, e uma salada de folhas. Outra opção é um lanche, como uma crepioca (tapioca + ovo, assista a um passo a passo no fim desta página) e um suco de uva integral – uma refeição equilibrada que promove saciedade.

A regra de ouro, aliás, é exatamente essa: fazer uma refeição leve, mas que dê saciedade, para que não haja necessidade de comer próximo ao horário de dormir, o que, segundo a expert, pode atrapalhar o sono e um processo de emagrecimento.

A nutricionista sugere o que comer no jantar:

  • Bife de carne vermelha (magra), frango ou peixe + salada de folhas;
  • Crepioca (tapioca batida com ovo, veja receita em vídeo abaixo);
  • Sanduíche natural recheado com frango desfiado e vegetais;
  • Sopa de legumes com carne moída.

Carboidratos não são vilões

Existem formas de comer um alimento que contenha carboidrato sem que ele se torne um vilão do ganho de peso. “Também precisamos dele para nos gerar energia e desempenhar outras funções no organismo”, lembra Lígia.

No jantar, combine fontes de carboidratos a proteínas e fibras – elas reduzem a velocidade de absorção do carboidrato pelo organismo, evitando os indesejáveis picos de açúcar no sangue, que causam fome.

Jejum intermitente: uma boa opção?

O jejum intermitente é uma estratégia para emagrecimento em que a ideia é não ingerir alimentos por mais de oito horas. Desse modo, ficar sem jantar poderia ser parte desse protocolo: como o corpo fica sem a energia vinda das refeições, ele se autorregula e acaba queimando mais gordura para manter seu funcionamento.

Apesar de promissor, o jejum intermitente não funciona para todo mundo, como explica a nutróloga e médica do esporte Karina Hatano: “Se uma pessoa tem o gasto energético mais alto e fica em jejum, provavelmente se beneficiará. Por outro lado, existem organismos que dão a resposta contrária e poupam gordura. O metabolismo é algo muito individual”. Por isso, começar a jejuar por conta própria é um erro – prefira sempre ouvir a opinião de um nutricionista, ok?

E então, ficar sem jantar emagrece?

Depende. “Algumas pessoas sentirão a necessidade de jantar, mesmo que seja uma refeição mais leve, como um lanche. Outras conseguem iniciar um jejum e pular o jantar. Devemos sempre analisar as necessidades biológicas das pessoas ao recomendar fazer ou não essa refeição noturna”, explica Lígia.

O melhor e mais indicado ao decidir iniciar uma dieta sempre é procurar um profissional, que poderá pedir exames e criar um cardápio específico e adaptado a você.

Receita saudável: crepioca

Continue por aqui 🙂

TAGS:

Este site utiliza cookies para que você tenha a melhor experiência em nosso site. Consulte nossa política de privacidade.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close